Anúncios


Embora seja um aliado dos brasileiros que cobra juros e não admite atrasos, as transações com cartão de crédito no Brasil não param de crescer.

Anúncios


O cartão de crédito ainda é o meio de pagamento mais usado no Brasil.

De acordo com o Banco Central do Brasil, o número de transações no ano de 2023 chegou a incríveis R$ 2,4 trilhões.

Isso quer dizer uma alta de 12,1%.

Anúncios


Contudo, desse valor, só o cartão de débito conseguiu movimentar cerca de R$ 1 trilhão de reais.

Embora a taxa de juros tenha vindo com um aumento, no ano de 2024, o saldo das transações por cartão de crédito cresceu 50,1% em 2022, segundo o Banco Central do Brasil.

Anúncios


O site Agência Brasil, com base nos estudos do Banco Central de Brasil, divulgou que, depois de dois meses seguidos de queda, a taxa média de juros do cartão de crédito rotativo apresentou em março aumento de 9,4 pontos percentuais o que significa uma porcentagem de 421,3% ao ano.

Segundo especialistas, a grande tendência do setor de cartões é a de movimentar mais de R$ 4 trilhões em 2024.

Anúncios


A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços – Abecs – estima que pagamentos realizados, tanto no débito como crédito e pré-pago, já somam aproximadamente R$ 4,12 trilhões, em relação ao ano passado.

Segundo o presidente da Abecs, o que favoreceu o crescimento foi, em primeiro lugar, a diminuição da inadimplência, seguido da inflação que hoje está bem mais controlada.

Em decorrência, o crédito é estimulado, podendo superar o uso do débito.

O presidente da Abecs também destacou que a razão para o aumento do uso do crédito pode ocorrer, sem, necessariamente haver aumento do limite de crédito aos usuários, tampouco, o aumento do número de cartões em circulação no país.

A estimativa é a de que o Brasil tenha mais de 400 milhões de cartões a circular no mercado brasileiro.

Os especialistas ressaltam que uma das razões para esse aumento é o fato de hoje em dia a população ter muito mais acesso ao produto, uma vez que há oferta e há participação dos novos bancos digitais e fintechs que crescem a cada dia com o propósito definido e explícito de oferecer o produto até a pessoas que estão com CPF negativado.

O mercado está otimista, pois, as projeções são positivas para a continuidade do uso do cartão de crédito.

Anúncios


A maioria de usuários escolheu essa modalidade, como forma número 1 para pagamentos.

Isso comprova mais uma vez a relevância cada vez maior dos cartões na vida dos brasileiros.

É inegável que o cartão de crédito é bastante eficiente nas relações que dizem respeito aos usuários, como as que dizem respeito aos lojistas, empresários, e-commerce e tantos outros setores da economia.

A facilidade que os bancos digitais e finthec oferecem, somada a rapidez e eficiência dos aplicativos.

Esses são meios que proporcionam facilidade, segurança e rapidez.

Segundo dados fornecidos pelo Banco Central, no ano de 2020, durante a pandemia, cerca de 16,6 milhões de brasileiros abriu uma conta em banco.

Outro fator importante, que também foi em decorrência da pandemia, foi o advento dos bancos digitais e finthec e o aumento da entrada de novas instituições no mercado.

O que facilitou demais a vida das pessoas, por causa da introdução dos cartões pós-pagos.

Sem falar, é claro, em pelo menos, para falar o mínimo, dos avanços tecnológicos que caíram como uma luva, tanto para quem era especialistas quanto para todos os usuários, sem distinção.

Veja só:

  • o pagamento por aproximação, ou seja, uma tecnologia que realmente representou a adesão dos usuários aos cartões de crédito e débito,
  • o aumento do e-commerce somada à segurança, à rapidez e à tranquilidade em comprar pela internet, e
  • os aplicativos.

Vale aqui ressaltar que, somente no ano passado, o volume de transações realizadas por meio de cartões, representou quase 35%, aproximadamente, do total do PIB.

Para uma boa parte da família brasileira, o cartão de crédito e débito é o meio mais seguro.

Muitos acham preferível do que andar com dinheiro na carteira.

A título de exemplificação, somente no 4o trimestre de 2023, verificou-se um volume de transações por cartões que representou 56,8% do total do consumo das famílias.

Se se considerar os dados do ano de 2023 ao ano 2019, ou seja, anterior à pandemia, percebe-se um aumento de 15,2 pontos percentuais nas transações com cartões.

Apenas um pequeno exemplo para ilustrar que realmente é fato o crescente aumento de cartões, como a forma preferida de pagamento da maioria das famílias brasileira.

Quem não se lembra das dificuldades nos deslocamentos às agências bancárias físicas, a correria para não perder horário de banco, do tempo de espera em filas…

Hoje, constatamos esse aumento no número de usuários, devido às facilidades que a vida digital oferece e, sobretudo, na eficiência das relações de consumo.

O consumidor tem conhece e tem consciência de seus direitos, e os lojistas, por sua vez, querem de fato oferecer bom serviço e bons produtos.

Quantas vezes, o usuário, no conforto de sua casa, pode, tranquilamente, acessar seu app, verificar sua conta, sua fatura e, se decidir, fazer na mesma hora uma compra e recebê-la, quiçá, até no mesmo dia.

E são todos os setores: do vestuário ao calçado, de eletrônicos a eletrodomésticos, da farmácia, à padaria, supermercado, restaurantes.

São muitas as opções.

Por isso que esse fenômeno, chamado cartão de crédito, dificilmente vai perder seu fôlego.